Era Dourada Ashram

Click here to edit subtitle

PROJETOS

Permacultura

A palavra permacultura foi inventada no começo dos anos 70 pelos australianos Bill Mollison e David Holmgren para descrever uma nova forma de produção de alimentos que substituísse a agricultura convencional. Essa transformação seria então da agricultura convencional para uma "agricultura permanente" (do inglês, permanent agriculture). Esta nova forma de fazer agricultura mesclava conhecimentos de culturas ancestrais sobreviventes com conhecimentos da ciência moderna. Isto aconteceu dentro do contexto de produção de alimento australiano na época, em que a agricultura convencional já estava em decadência adiantada, mostrando sinais de degradação ambiental e perda de recursos naturais irrecuperáveis. Na verdade, em situação muito similar à do Brasil de hoje. Mas a idéia destes dois australianos não se limitou à produção de alimentos, uma vez que esta é apenas uma das necessidades básicas de nós, seres humanos. Além de obter alimentos, necessitamos também de abrigo, água e energia para nossas atividades, tudo isto dentro da nossa capacidade cultural, ou seja, nossa capacidade de criar. Por isto que a permacultura não se limita à ser uma agricultura orgânica ou ecológica, mas à criação de paisagens que são conscientemente planejadas/desenhadas/desenvolvidas reproduzindo padrões e relações encontradas na natureza de prover nossas necessidades básicas. Trata-se de um sistema holístico, de visão panorâmica dos elementos de um planejamento que vise nossa permanência no Planeta terra. Por isso mesmo, os conceitos de permacultura se expandiram como uma "cultura permanente". Portanto, uma nova forma de cultura, capaz de aumentar a resiliência, ou seja, a capacidade/poder de recuperação, de assentamentos humanos. Na Comunidade Espiritual Era Dourada Ashram há várias técnicas de permacultura implementadas, visando uma vida em harmonia com Gaia, nosso querido Planeta Terra. Tais técnicas são: captação de água da chuva, telhado verde, banheiro seco, bacia de evapotranspiração, banheiro seco, filtro biológico, swale, agricultura orgânica e minhocário.

Educação

A educação não deve se preocupar unicamente com o desenvolvimento do corpo e do intelecto, pois isto é insuficiente para formar indivíduos críticos e autônomos, tomadores de decisões. A massificação do ensino, fruto da coisificação do homem e de uma epistemologia reducionista que prevalece no ocidente desde o fim do século XIX, tem causado os malefícios que todos conhecemos, desde a destruição da natureza do meio ambiente à destruição da natureza do homem, sendo ambas, na verdade, as duas faces de uma mesma moeda. Se faz necessário, então, um diálogo entre as diferentes áreas do saber, implicando numa postura sensível, intelectual e transcendental do sujeito perante si mesmo e perante o mundo. Para isto toda ação educacional deve focar no noso olhar sobre o individual, o cultural e o social por meio de uma reflexão respeitosa sobre as diferentes culturas. A educação deve se voltar para formar seres aptos para governar a si mesmos e não para serem governados pelos outros. A aprendizagem é um processo, do educador e do educando, que faz com que a educação não se reduza a conteúdos incutidos de forma autoritária, devendo ser consideradas diferentes habilidades. As habilidades cognitivas, social e emocional são importantes para as funções pedagógicas e uma não pode estar dissociada da outra. Toda ação pedagógica promovida pela Comunidade Espiritual Era Dourada Ashram, seja ela na formação de grupos, visitantes, dentres outros via a formação integral dos indivíduos através, principalmente, da convivência e da troca de saberes permeadas por ações pedagógicas.   

Espiritualidade

O distanciamento da essência humana de suas raízes filosóficas e místicas produziu um ser humano isolado da natureza e de si mesmo. Frente a esta situação vivemos em uma busca constante tentando minimizar as diferenças e os impactos acumulados ao longo de séculos de ação antrópica. O estilo de vida cada vez mais rápido e mecanizado do mundo ocidental desconsidera emoção, espiritualidade, transes, meditações e intuições. Por isso, a formação individual de cada sujeito deve aprofundar-se na essência do ser humano para atuar contra o desencantamento do mundo e a crise da cultura ocidental e da racionalidade. Desta maneira, a importância da abordagem do sagrado nas relações do dia a dia é a mesma da recuperação da natureza do homem, uma vez que todos esses problemas decorrem da subutilização das potencialidades do espírito humano. Explorar este espírito implica um aprofundamento em nós mesmos de como aprendemos e conhecemos. A espiritualidade é a busca da essência humana no sentido da vida e na razão de viver, não limitando-se à tipos de crenças ou práticas. Desta forma, espiritualidade não é sinônimo de religião, embora estes conceitos, que não são consensuais, possam estar relacionados. Um caminho espritual é aquele que busca por respostas compreensíveis para questões existenciais sobre a vida, seu significado e a relação com o sagrado ou transcendente. Para isto se faz necessária uma viagem para interior do ser.